Posts

Graça preveniente: A influência da soteriologia arminiana e wesleyana no pentecostalismo clássico brasileiro

A concepção de graça preveniente norteia a soteriologia pentecostal clássica, que reproduz ou se aproxima da teologia arminiana clássica e da teologia wesleyana.

O arminianismo clássico compreende que Deus oferece graça salvadora a todas as pessoas através do Espírito Santo (1Tm 2.3-4; Tt 2.11), capacitando-as a opor-se à influência do pecado, e possibilitando uma resposta positiva a Deus (Jo 15.26-27; 16.7-11). Deus toma sempre a iniciativa, cabendo ao pecador responder em fé e obediência voluntária (Lc 15; Rm 5.6-8; Ef 2.4-5; Fp 2.12-13). Contudo, os pecadores podem resistir à graça, e continuar no pecado e rebelião contra Deus. A graça de Deus capacita e encoraja uma resposta positiva e salvífica para todas as pessoas, mas ela não é determinante ou irresistível para ninguém (At 7.51). Uma resposta positiva inicial de fé e obediência também não garante a perseverança dos salvos. É possível iniciar um relacionamento genuíno e pessoal com Deus, e depois se afastar Dele, persistindo no mal de sorte que a pessoa, por fim, se perca (Rm 8.12-13; 11.19-22; Gl 5.21; 6.7-10; Hb 6.1-8; Ap 2.2-7). (WALLS, 2014, p. 14.) Leia mais

5 Razões Porque Adolescentes Precisam de Teologia

O mundo pode ser realmente confuso para os adolescentes. Estamos nos aproximando de um cenário de mudança moral, onde os desafios mais urgentes e críticas mais altas da cultura estão sempre mudando e perpetuamente em conflito. Vemos escândalos e comentários, Trump e o terrorismo, nova ética sexual e tensões raciais duras, e nós queremos saber: como vamos pensar sobre tudo isso?

A sociedade secular joga suas próprias respostas em nosso caminho, mas elas nunca são compatíveis com uma cosmovisão cristã. Eu vejo uma ferramenta melhor para atender às questões dos adolescentes seguidores de Jesus como eu: teologia. Leia mais

Lamentações de Jeremias – Chora Israel

Para ajudar a entender melhor a cronologia bíblica:

profetas

O nome Lamentações vem da tradução da Bíblia para o latim: a Vulgata. O título hebraico é ‘ekah, derivado das primeiras palavras dos capítulos 1, 2 e 4. Este termo era usado nas canções fúnebres e significa “como”. Podemos verificar seu uso em 2 Sm. 1:19, quando Davi chora a morte de Jônatas dizendo: “Como caíram os guerreiros!” Leia mais

Os dias da criação eram períodos de 24 horas?

R. C. Sproul, que elaborou a versão original da Declaração de Chicago sobre a Inerrância Bíblica, uma vez disse: “Quando as pessoas me perguntam qual a idade da Terra, eu digo a elas que eu não sei – porque eu realmente não sei”.

Diferentemente do que é geralmente insinuado ou proclamado por criacionistas da terra jovem, a Bíblia em nenhum lugar ensina diretamente a idade da Terra. Leia mais

Amilenismo

 

A palavra milênio se refere aos “mil anos” mencionados em Apocalipse 20. Visto que esse capítulo é encontrado em um dos mais difíceis livros do Novo Testamento, sua interpretação adequada é polêmica. Como resultado, existem quatro visões principais do milênio defendidas na igreja hoje: pré-milenismo histórico, pré-milenismo dispensacionalista, amilenismo e pós-milenismo. Os prefixos pré- e pós- antes da palavra milênio têm a ver com o momento da segunda vinda de Cristo em relação ao próprio milênio. O termo pré-milenismo se refere à crença de que a Segunda Vinda ocorrerá antes do milênio. O termo pós-milenismo se refere à crença de que a Segunda Vinda ocorrerá após o milênio. Na verdade, o amilenismo é uma versão do pós-milenismo nesse sentido, porque os amilenistas creem que a segunda vinda de Cristo ocorrerá após o milênio. Há outras diferenças que distinguem os amilenistas dos pós-milenistas. Um entendimento de quais propostas cada uma dessas visões têm ensinado historicamente fornece um contexto útil para atuais discussões sobre Apocalipse 20. Leia mais